Em entrevista ao programa String Theory, da Ernie Ball, o guitarrista do KISS Paul Stanley fez uma crítica a alguns companheiros de profissão que só se dedicam à guitarra solo e esquecem da parte rítmica.

Para Stanley, ser um guitarrista rítmico não é apenas um passo para se tornar um solista. “Muitas vezes, as pessoas se esquecem de destinar tempo para aprender e entender a guitarra base e acho que isso é mais importante do que conhecer como fazer solos”.

Ele ainda falou sobre casos de músicos excelentes em guitarra solo que tinha dificuldade de fazer a base. “Lembro de caras que eram muito bons na guitarra principal, mas quando você pedia ‘agora, faça uma base para mim’, eles se perdiam”.

Cordas

O guitarrista do KISS ainda falou sobre quais cordas ele prefere usar para fazer base nas músicas. “Para tocar uma boa base, você precisa de cordas rígidas. O que seus dedos aguentarem é o caminho a ser seguido”.

Segundo Stanley, cordas mais moles não servem para fazer rock. “Quando você tem aquelas cordas bambas, para mim, não é rock n’ roll. O rock n’ roll é sobre a glória do swing, o impulso da palheta para baixo. Quero a glória daqueles grandes acordes”.

Comentários