Em entrevista ao Clash Music, Kirk Hammet falou sobre seu atual estado mental em relação à música. Ele diz que está em uma fase onde busca acordes mais complexos e uma sonoridade mais abrangente.

“Eu estou em um ponto da minha vida agora onde eu realmente preciso ouvir acordes mais complexos. Então eu me pego ouvindo um monte de coisas baseadas no jazz e um monte de coisas clássicas”, conta.

Hammett explica que o metal tem limitações e regras que o próprio Metallica ajudou a criar. Porém, no início dos anos 1990, surgiu a vontade de se livrar dessas amarras na sonoridade da banda.

Ele enxerga, por exemplo, um fio condutor que liga os álbuns Load e St. Anger, coincidentemente a fase onde o Metallica se tornou mais distante do thrash metal clássico e ampliou seus horizontes.

Porém, a busca por complexidade não é motivo para Hammett se cansar dos álbuns do período clássico do Metallica. “Eu anseio por complexidade musical – mas isso não significa que eu não posso apreciar um power chord aberto, porque eu também amo isso, e eu sempre, sempre vou amar”, disse.

Atualmente, o Metallica divulga seu mais recente álbum, Hardwired… To Self Destruct, que curiosamente foi aclamado por crítica e público por conter elementos clássicos, que não apareciam há algum tempo nos discos da banda.