Tosin Abasi posando para foto

Durante uma entrevista recente, o guitarrista do Animals as Leaders, Tosin Abasi, falou sobre a evolução dos produtos digitais no meio musical.

“Há razões pelas quais você não pode levar seu amplificador favorito a qualquer lugar. Você não quer andar pelo bairro de Koreatown com um amplificador valvulado de 100kg… Então esse tipo de equipamento só brilha nos contextos ao vivo em que pode ser realmente acionado”, explica.

Evolução dos equipamentos digitais

“Eu acho que agora os processadores são fortes o suficiente para que a maioria dos guitarristas não consiga reconhecer a simulação em um teste cego ao lado do amplificador real”, argumenta Tosin.

Musilink (Mês 1) – POD HD500X 4

“E o contexto é importante, porque digamos que você está em um clube pequeno e um cara tem um Mesa Boogie Mark V ou um JCM800, e ele está alto pra caramba. Um Fractal direto no sistema de PA simplesmente não tem a mesma presença no ambiente, por exemplo. Mas, se você está em um local grande e tudo o que está ouvindo é o sinal mixado de vários canais vindos de uma mesa de som, então não é mais uma questão de ressonância de alto-falantes”.

Leia também: Tosin Abasi vai lançar sua própria marca de guitarras

Sobre o Fractal

Para o guitarrista, os equipamentos digitais atingiram um grau de qualidade bastante elevado. “Eu escolho tocar com o equipamento analógico quando tenho ‘luxo’, mas, na maior parte do tempo, uso o Fractal”, afirma Tosin.

“Há uma série de razões para isso. Não há degradação de válvulas ou a necessidade de regular o bias, nem de ficar movendo o microfone… Posso ter os timbres dos discos armazenados em um só dispositivo. E ele ainda é portátil. A conveniência é um dos argumentos, mas realmente acho que o resultado musical agora é tão bom que posso dizer: ‘quero tocar com o Fractal’”, completa o músico.

Deseja acompanhar mais opiniões de Tosin Abasi? Então siga o guitarrista no Twitter.